FORAM NEGLIGENTES AGORA CORREM CONTRA O PREJUÍZO

Categorias

O trio que administra a cidade de Poá, o prefeito Giancarlo Lopes da Silva; o vice-prefeito Marquinhos Indaiá e o secretário de governo, Augusto de Jesus, foram negligentes em vários prejuízos que Poá sofreu nos últimos anos. O Serviço Social da Indústria abandonou a cidade, pois queria construir aqui um moderno Centro Educacional, mas não lhe deram um terreno para isso. Giancarlo e Marquinho eram vereadores e nada fizeram. Augusto de Jesus era secretário municipal.
Agora querem se transformar nos defensores da galáxia. Perderam o Conglomerado do Banco Itaú. Sabiam os três de que em breve o Itaú deixaria a cidade. Não se tratava mais de uma vontade política ou empresarial. Uma ordem judicial, que se houvesse mais interesse poderia até se converter.
Aparecem agora, manipulando uma entidade representativa de classe, para demagogicamente, usar a população para atingir seus objetivos esquerdistas. O prefeito Giancarlo Lopes da Silva, seu vice Marquinhos Indaiá e Augusto de Jesus, o secretário de Governo, estavam arrepiados de saber que o Itaú fez um acordo judicial para transferir seus negócios para São Paulo.
Fizeram o que: se ligaram nos meios políticos, usando um deputado da região para prorrogar essa saída e, com isso, ganhar tempo e dinheiro até a eleição do ano que vem, porque sabiam que com esse dinheiro todo seria possível construir a escola municipal no centro da cidade, o novo viaduto e sagrar-se como os idealizadores de grandes projetos.
Mas se descuidaram do caminho jurídico e se perderam no trajeto. Agora voltam a chorar a perda de 140 milhões que vão deixar o orçamento. Chegou ao ponto de negar o ponto facultativo para os funcionários na segunda-feira, 8, que seria emendado com o feriado do dia 9.
Mas no dia 10 vai encerrar o expediente às 14 horas, para que o funcionalismo compareça na Praça da Bíblia, para engrossar o movimento do Fica Itaú. Mas sabem que de nada vai adiantar, pois a empresa tem um compromisso judicial que será cumprido.
Quem sabe bem de toda essa história, é um cidadão poaense, responsável pela vinda do Banco Itaú para a cidade, o advogado Marinho Mendes, que nunca foi reconhecido pelo seu grande feito. A verdade é esta: Foram negligentes, agora correm contra o prejuízo que fatalmente virá (Lucas Martins é Jornalista Profissional e Analista Político)

Por LUCAS DE MELO

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*