Fiscalize seu vereador, as eleições vêm aí

Categorias

Como prometido anteriormente, voltamos a este espaço do Jornal Novo São Paulo para analisar agora o comportamento de vereadores. Tivemos aqui muito recentemente a informação da rejeição do pedido de empréstimo de 30 milhões de dólares que o prefeito Giancarlo Lopes da Silva pretendia obter de instituições financeiras no Exterior.
Sete (07) vereadores queriam ver o Município totalmente endividado, com um empréstimo que sem dúvida iria comprometer diversos orçamentos da Prefeitura Municipal. Os vereadores abaixo foram os que votaram a favor do empréstimo de 30 milhões de dólares pedido pelo prefeito Lopes:
Fábio Suru, um vereador de primeiro mandato, e pelo que se tem notícia desconhece a área econômica e não tem ideia do rombo que poderia provocar nos cofres públicos, muito ligado ao Governo, integra a situação e defensor dos atos do prefeito.
Welson Lopes da Silva, vereador de primeiro mandato, irmão do prefeito Giancarlo Lopes da Silva, não necessita de nenhum argumento para votar ou não votar a favor das propostas do prefeito. Com muita experiência no Legislativo, vive politicamente de assistencialismo, intercedendo a favor de eleitores para vagas em creches, escolas e outros benefícios que lhe proporciona o prefeito.
Junior da Locadora que não é vereador, mas apenas suplente do Mário Sumirê que, em face do impedimento, ocupa a cadeira. Mas embora não tenha sido reeleito no pleito anterior, já foi vereador e chegou a ocupar a Presidência da Câmara. Não demonstrou preocupação em analisar a proposta, pois se votar contra o interesse do prefeito, o titular Mario Sumirê pode reassumir seu mandato. Além disto, é líder do prefeito na Câmara.
Zé Carlos Maçã do Amor é outro integrante do Legislativo, sem qualquer estudo técnico em condições de manter um entendimento sobre valores, juros e tempo para pagamento de vultoso empréstimo.
Marinho do Jornal, vereador de primeiro mandato, conseguiu se eleger pelo trabalho que fazia de denúncias de irregulares na administração pública e foi um dos responsáveis pela queda do então prefeito Testinha. Eleito, mudou de comportamento.
Garcez do Proerd, o Sargento Garcez, da Policia Militar, de primeiro mandato, mas muito ligado ao prefeito Giancarlo Lopes da Silva. Sua eleição deu-se em virtude de cursos que dava em escolas do Município na prevenção contra as drogas. Mas não analisou as consequências que poderia acarretar ao Município com o empréstimo dessa natureza.

Por Lucas Martins
(Foto: Glauber)

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*