Abril termina com 12,24% mais chuva do que a média histórica no Sistema Alto Tietê

Categorias

Represa do Rio Jundiaí

O mês de abril terminou com 12,24% mais chuva no Sistema Alto Tietê do que a média histórica, de acordo com levantamento da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A pluviometria do mês ficou em 107,3 mm, enquanto a média histórica é de 95,6 mm. Três das cinco barragens do sistema operam acima da capacidade.

Esta foi a maior quantidade de chuva em um mês de abril desde 2016, ainda segundo a Sabesp. Choveu mais apenas em abril de 2015, quando a pluviometria acumulada ficou em 116,7 mm. Já durante a crise hídrica, em 2016, abril teve apenas 8,2 mm de chuva em todo o mês.

Março terminou com 34% mais chuva do que a média histórica e duas represas passaram a verter água: Jundiaí e Taiaçupeba.

Em abril, a chuva diminuiu bastante, como é esperado nesta época do ano. No mês passado o volume acumulado de chuva foi de 231,1 mm.

Ainda assim, três das cinco represas do Sistema Alto Tietê seguem operando acima da capacidade: Paraitinga (102,6%), Jundiaí (102,73%) e Taiaçupeba (102,54%).

De acordo com o Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee), as três estão vertendo água: a de Taiaçupeba e do Rio Jundiaí desde março e a de Paraitinga começou na primeira quinzena de abril.

A quantidade de água descartada, porém, já é bem menor. A de Taiaçupeba, que já chegou a verter 12,9 m³/s em março, está vertendo 0,79 m³/s; a do Rio Jundiaí que chegou a verter 4,01 m³/s agora verte 0,87; e a de Paraitinga está vertendo 2,11 m³/s.

Sistema Alto Tietê

O sistema conta com cinco represas: Ponte Nova, Paraitinga, Biritiba, Jundiaí e Taiaçupeba, que ficam em Mogi das Cruzes, Salesópolis, Biritiba Mirim e Suzano.

A capacidade de produção é de 15 mil litros de água por segundo para atender 4,2 milhões de habitantes da zona leste de São Paulo e dos municípios e Arujá, Itaquaquecetuba, Poá, Ferraz de Vasconcelos e Suzano, além de parte de Mogi das Cruzes e de Guarulhos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*