Prefeitura entrega reservatório do Piscinão

Projeto idealizado em 2004, pelo ex-prefeito Eduardo Carlos Felippe, o Eduardão, enfim está concluído e ajudará no combate às enchentes no município

Sem ter ao menos avisado ou convidado a imprensa local, o prefeito de Poá Giancarlo Lopes e alguns secretários municipais e vereadores estiveram na manhã de hoje (4/8) no reservatório do Piscinão da Vila Romana para a entrega parcial da obra. O projeto, que teve início em 2004, foi idealizado para evitar alagamentos da região central durante o período chuvoso. Devido às medidas preventivas contra o novo Coronavírus, o evento foi transmitido pelo Facebook da Prefeitura de Poá e do chefe do Poder Executivo.

Segundo informações, o piscinão está 100% concluído, resta agora, a conclusão da primeira etapa na parte de cima, ou seja, a área de visitação da população, embelezamento com ajardinamento, duas quadras poliesportivas, arborização que contabilizam ainda para seu término 70% da obra. Para concluir essa primeira etapa gira em torno de R$1,5 milhão.

Além disto, a empresa MWE construtora responsável pela obra depende de recursos da Prefeitura, ou seja, uma contrapartida. Precisa receber uma quantia de R$1 milhão para depois ser terminada a obra. A empresa terminou o piscinão com muito sacrifício.

A segunda etapa do outro lado do piscinão margeando a estrada com a Rede Ferroviário será feita uma canalização alargando o rio até o centro da cidade para conter as enchentes. Para tanto, ainda depende de desapropriações e vai enfrentar uma série de dificuldades. Nesta segunda etapa que envolve galerias, tubulações, alargamentos do canal até a praça central da cidade, vão ser gastos mais R$10 milhões de obras que é o recurso liberado pelo governo federal. Ocorre que essa obra já tem 10 anos, a Prefeitura vai ter que por mais R$10 milhões também, perfazendo um total de R$20 milhões para sua conclusão definitiva.

Como a Prefeitura está sem recurso devido à perda de arrecadação do ISS – Imposto Sobre Serviços-, o prefeito Giancarlo quer que a empresa conclua a primeira etapa que será gasta mais R$1,5 milhão de obra e depois a segunda etapa vai ter que rediscutir com o governo federal, pois a Prefeitura não tem dinheiro e vai pedir mais R$10 milhões ao governo Bolsonaro.

A empresa MWE por sua vez, vai continuar a obra enquanto a Prefeitura discute com a Caixa Econômica Federal que já concluiu o piscinão para ela liberar a continuidade da conclusão da primeira etapa. Durante estes 10 anos a empresa MWE apesar das dificuldades enfrentadas sempre honrou a execução da obra. Agora, uma vez que está concluído o piscinão, a empresa precisa receber algumas parcelas atrasadas para concluir a primeira etapa da obra.

Para o prefeito, a entrega do reservatório do piscinão é crucial para evitar o registro de enchentes e alagamentos na cidade. Ele parabenizou a iniciativa do ex-prefeito Eduardo Carlos Felippe, o Eduardão, que deu início ao projeto e agora foi entregue para a população.

O ex-secretário de Obras do governo Eduardão, João Francisco França Lopes, reforçou que foi feito um projeto em 2004 para construção do Piscinão da Vila Romana. “Apresentamos o projeto para os governos do Estado e Federal para conseguir os recursos. Já nesta época foi detectado que precisaríamos de um complexo como este para o combate às enchentes na cidade. Pra mim é motivo de muita alegria e satisfação ver a conclusão dessa obra” comentou.

O piscinão tem 14 metros de profundidade e capacidade de armazenar até 210 milhões de litros de água. O reservatório conta com sete bombas para a drenagem, sendo que seis delas são de alta capacidade, com vazão de 500 litros por segundo, e uma de menor potência para auxílio na retirada da água acumulada abaixo de meio metro de profundidade.

Foto: Flávio Aquino/Departamento de Comunicação de Poá

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*