Alto Tietê segue na fase amarela e CONDEMAT reforça medidas preventivas

Nos últimos 15 dias, Região reduziu internações e óbitos, mas casos continuam em alta. Permanência por mais duas semanas nesta etapa permitirá novas flexibilizações

A oitava atualização do Plano SP, apresentada nesta sexta-feira (24/07) pelo Governo do Estado, mantém a região na fase amarela da retomada econômica. O Alto Tietê, o município de São Paulo e as sub-regiões Oeste, Sudeste e Sudoeste da Grande São Paulo, mais a Baixada Santista, Araraquara e Registro são as únicas regiões do Estado nesta etapa – o restante está nas fases laranja e vermelha.

O Alto Tietê passou para a fase amarela na atualização de 10 de julho e a direção do CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê destaca a importância da região permanecer nela.

“Apesar do anseio da maioria, ainda não estamos preparados para a fase verde. Depois de vários meses de restrições, a retomada das atividades precisa ser feita cautelosamente para evitar o aumento da contaminação. Não podemos esquecer que o vírus continua em circulação e o isolamento social, aliado a outras medidas preventivas, permanece o meio mais eficaz para controlar a proliferação da doença”, alerta o presidente do CONDEMAT, prefeito Adriano Leite. “A tendência é permanecer um tempo maior na fase amarela, o que é bastante positivo visto que a maioria do Estado não conseguiu chegar nela”, acrescenta.

Nos indicadores apresentados hoje, o Alto Tietê apresenta 64% de ocupação de leitos de UTI e tem uma oferta de 15,7 leitos para cada 100 mil habitantes, o que representa um acréscimo respectivo de 8,47% e 0,64% na comparação com os dados de 15 dias atrás, quando a região avançou para a fase amarela.

Nos novos casos, o Alto Tietê apresenta uma variação de 0,90 (23,2% a mais do que a variação do último dia 10). Nas internações e óbitos, as variações registradas nesta atualização são de 0,90 e 1,01 – respectivamente 8,16% e 24,62% a menos do que o contabilizado há 15 dias. A metodologia adotada pelo Estado considera a evolução registrada nos últimos 7 dias, dividida pelos 7 dias anteriores.

“Essa desaceleração nos óbitos é muito importante e só não foi maior porque ainda há uma retroalimentação grande de casos que ocorreram nos meses de abril, maio e junho que só agora estão tendo os laudos liberados e a inclusão nas estatísticas”, pondera o presidente do CONDEMAT.

A atualização divulgada hoje é feita a partir da base estatística estadual contabilizada até ontem, quando o Alto Tietê tinha 22.199 casos confirmados de coronavírus e 1.850 óbitos nas 11 cidades que pertencem a Grande São Paulo – Arujá, Biritiba Mirim, Ferraz de Vasconcelos, Guararema, Guarulhos, Itaquaquecetuba, Mogi das Cruzes, Poá, Salesópolis, Santa Isabel e Suzano. O município de Santa Branca, que também é consorciado ao CONDEMAT, integra a região do Vale do Paraíba, que está na fase laranja.

A próxima atualização do Plano SP está programada para 7 de agosto e ainda dentro da fase amarela estão previstas mais flexibilizações a partir da permanência da região nela por quatro semanas, como a possibilidade de eventos, convenções e atividades culturais (cinemas e teatros, por exemplo).

“Os resultados mostram que o trabalho desenvolvido pelas cidades do Alto Tietê está sendo efetivo e que precisa ser continuado para evitar alta nas estatísticas. Os municípios estão definindo os protocolos de segurança de retomada, alguns mais flexíveis e outros menos, de acordo com cada realidade. Essa particularidade precisa existir porque as características são diferentes. O fundamental é a população permanecer consciente da necessidade de prevenção porque a evolução para uma próxima fase, ou mesmo a maior flexibilização dentro da etapa amarela, depende do esforço de todos”, conclui o presidente do CONDEMAT.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*