Mulher na Câmara parece solução

Depois de ver uma Câmara Municipal de Poá, constituída apenas por Vereadores-Homens, totalmente inoperantes, coniventes com uma situação constrangedora de uma administração decadente, dando clara demonstração de que os representantes do povo desconhecem o importante papel que lhes foi outorgado pela sociedade, passo a analisar a realidade. Com raríssimas exceções, a mulher tem outro comportamento e responsabilidade.

Vendo a mulher como donade casa, verificamos que sua responsabilidade é muito grande. A começar pela administração do orçamento doméstico. Vai a feira ou ao supermercado e escolhe os produtos mais barato para comprar mais e manter uma sobra dos recursos para emergências.

Na casa, é a mulher quem acorda cedo, prepara o café para afamília, prepara as crianças para s escola. Depois cuida do almoço, da roupa, da janta, dos filhos com a lição de casa, até o marido retornar do trabalho, dando-lhe janta e depois ainda vai lavar a louça.

Rapidamente constatamos que a administração doméstica fica sempre a cargo da mulher, a quem cabe fiscalizar preços e outros aspectos e quando necessário, botar a boca no trombone.

Por essa razão, achamos necessário que a população escolha dentre as várias candidatas a Vereadora, uma, duas, três ou até mesmo a totalidade, para compor a Câmara de Vereadores de Poá.

Existem nomes bons, de respeito que estão sendo lançadas como pré-candidatas, dentre elas, que chegou ao nosso conhecimento pelas redes sociais, é o da Educadora, Suzete de
Paula, irmã do saudoso Chininha, que foi presidente do Esporte Clube Concórdia Poaense e também da Assessora da Câmara Ale Cristina. Outras pré-candidatas vão aparecer e o eleitor ou eleitora terá a oportunidade de escolher. Manter apenas Vereadores-Homens, vai continuar tudo como está, e a mulher vem para fazer a diferença e sacudir o Legislativo Poaense. (William Cury é Jornalista Profissional ecritico politico).

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*